sábado, 26 de abril de 2008

Desconstruindo Chico Buarque

(DES)CONSTRUÇÃO DE CHICO BUARQUE

E.M. (aproveitando o sábado, 12/04/2008)

Repete, Chico, repete
Martela, Chico, martela
Bate como a araponga
Irritando a flor da pele

Duas últimas e um último
Um único e uma única
Insólitos sólidos
Que desmancham no ar

Engana, Chico, engana
Revela, Chico, revela
Amor e festa de príncipe,
Uma mancha na calçada

Cantou na contramão
Atrapalhando o óbvio.
Por esse não desistir,
Deus lhe pague.

Um comentário:

luciana miranda penna disse...

Adorei a desconstrução bem brasilis.
Bjks, Lu