sexta-feira, 31 de julho de 2009

Rosangela Rennó

No blog do 5º Paraty em Foco, a entrevista da semana é com a artista plástica Rosângela Rennó. Fernando Rabelo entrevistou a artista em seu ateliê no bairro de Santa Teresa, Rio de Janeiro.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Estilo Montoro

Prefira sempre a palavra mais simples
Escolha primeiro o caminho mais reto
Procure fazer sempre a coisa direito

Saudades do estilo Montoro (1916-1999)

quarta-feira, 15 de julho de 2009

BELÉM ABRE A CAIXA DE PANDORA

ALEXANDRE BELÉM fez a entrevista desta semana no blog do 5º Paraty em Foco. Foi com o catalão HECTOR MEDIAVILLA, membro do coletivo Pandora, que ministrará o workshop Teu Ponto de Vista, além de participar da entrevista As Caixas de Sapato e Pandora, com o coletivo Cia de Foto. O tema da conversa é fotografia documental e ensaio fotográfico, numa prévia do que vai ser visto em Paraty. Muita gente questiona a própria sobrevivência da fotografia documental e seus contornos nos dias de hoje. Mediavilla expõe autêntico e convicto ponto de vista. Bela reflexão sobre o ensaio documental, acompanhada das fotos de “Elevadoristas”, que estão também no Flickr do Festival. Fotos: Héctor Mediavilla

O ÚLTIMO PAS-DE DEUX


Exercício sobre poema de Jorge de Lima,

O grande desastre aéreo de ontem

“Há mãos e pernas de dançarinas

arremessadas na explosão”


Galeão, Aeroporto Tom Jobim, ontem você.

Ensaiávamos as cinco posições.

Barra, achei que você segurava a barra.

Não esperava o pé na bunda, o coup-de-pied.


Chegou a hora do effacé.

Será que existe mesmo a tal da élévation?

En face, de cara para te ver.

Na hora do fondu, o inesperado fouétté.


Plié, grand plié, tudo na vida é movimento de ballet.

En dedans, pé de criança. En dehors, pé de palhaço.

Relevé, bem que tentei me manter na ponta do pied.


Agora vou glisser num grand jété.

Em toda a extension, não tem mais échapé.

Coupé, croisé, dégagé, não foi possível fazer um detourné.

terça-feira, 14 de julho de 2009

A MATADORA (POÉTICA) DE ORQUÍDEAS

Um blog que, só de vez em quando, é alimentado é o delicado A MATADORA DE ORQUÍDEAS, da jovem poeta ANALU ANDRIGUETI. Mas sempre vale a visita, como serve de exemplo a receita abaixo de "terapia doméstica", em clima freudiano ortodoxo. Basta musicar para virar um hit! Arnaldo Antunes e Alice Ruiz, socorro, cuidem-se! Ainda em 2009 o livro de poemas deve ser lançado, ilustrado com fotos de orquídeas dirigidas por Analu e executadas por E.M.


Terapia doméstica


Tá em crise existencial?

Pode varrer o quintal.


Tá pensando na vida?

Prepare a comida.


Tá passando mal?

Tire a roupa do varal.


Tá sem grana?

Vá cortar a grama.


Tá se sentindo sozinho?

Cuide dos meus 5 filhinhos.


Tá deprimido?

Tome um comprimido.


E se nada adiantar?

Te arrumo um tanque de roupa pra lavar.

domingo, 12 de julho de 2009

Poesia na ponta da faca

Pouca gente sabe que o conhecido critico de arte e curador Fábio Magalhães é, nas horas vagas, não só excelente cozinheiro, como também refinado poeta.

Só alguns privilegiados foram brindados com a magnífica edição, fora do comércio, de Lâminas, ilustrada com desenhos de Rodrigo de Haro e ricamente impressa, no verão de 2009, em papel Stardream Silver.

Embora surpreenda o tema escolhido por um homem da paz como o ex-Secretário da Cultura, este se mostrou, mais uma vez, à altura do desafio. É o que se vê ictu oculi em Desejo:


Ao ser afiada

excita-se

sonha com desafios


imagina estocadas




mas em mãos adestradas


corta e pica


para o jantar que se avizinha




mesmo frustrada

sonha ser punhal


a faca de cozinha

Para saber de tudo sobre o Paraty em Foco.

Para quem quer saber de tudo! Além do blog, o Paraty em Foco já tem twitter e facebook. Ainda há vagas em alguns workshops.

RECADO DA DANUSA

“Se as pessoas pensassem mais, batalhariam não para ter o poder banal, mas sim aquele que, no plano pessoal ou profissional, é o mais importante dos poderes: poder dizer sim ou não seja lá a quem for, na hora em que tiver vontade. Poder dizer não; esse é o maior privilégio que se pode ter na vida.”

(Danuza Leão, O maior dos privilégios, FolhaSP, C2, 12/07/09)

INSTALAÇÃO ELÉTRICA DA MICASA

sábado, 11 de julho de 2009

Explorando a blogosfera: GEORGIA QUINTAS

Uma das melhores fontes, atualmente, para quem gosta de refletir sobre a fotografia é o blog da pesquisadora e antropóloga pernambucana Georgia Quintas.

A imagem fotográfica é um jogo de visão de mundo e imaginação. E nisto reside toda a complexidade de quem capta e a apreende visualmente. Pois, se ela é o registro de um tempo e de um espaço, de objetos ou pessoas, será irremediavelmente memória de expressão cultural e de significado simbólico. Ou seja, ela também poderá ser tudo e nada.

Assim a blogueira cult começa a responder à pergunta por ela mesmo formulada: “O que mais fotografar? Seu currículo é muito rico: doutora na Espanha, mestre pela Universidade Federal de Pernambuco e pós-graduada em História da Arte pela FAAP/SP, Georgia coordena o Bacharelado de Fotografia em Olinda e integra o Núcleo de Imagem & Som em Ciências Humanas da Pós-graduação em Antropologia da UFPE.

Seu livro Man Ray e a Imagem da Mulher - A vanguarda do olhar e das técnicas fotográficas recebeu excelente análise do fotógrafo e crítico de fotografia Juan Esteves, publicada no Fotosite e que está no blog.

As análises e reflexões de Geórgia Quintas vão do surrealismo europeu à tradição pernambucana. Recentemente, escreveu sobre a presença das amas de leite nas fotografias da aristocracia pernambucana, na RBSE – Revista Brasileira de Sociologia da Emoção, texto valioso que também pode ser lido no blog.

O blog de Georgia Quintas tem muito mais. E é muito agradável também, com lindas imagens. É só ir lá conferir.

HIPOCONDRIA

PARA FLÁVIA PEDRAS E
MICHAEL JACKSON


ASPIRINA, ANADOR, NEOSALDINA
CIBALENA, TILENOL, DORFLEX
TILEX, TRAMAL, BUSCOPAN
ALKA SELTZER, SONRISAL, SONRIDOR
MILANTA, ENGOV, OMEPRAZOL
ADEUS.
QUEM DISSE QUE NÃO TEM REMÉDIO?

sexta-feira, 10 de julho de 2009

RECADO DO CLÍCIO

É com enorme satisfação que, participante que sou da blogosfera do Paraty em Foco, tive a honra de inaugurar o novíssimo blog colaborativo do Festival Internacional de 2009 (5º edição). Começamos bem, com um monte de matérias e uma reveladora entrevista com a fotógrafa francesa Claudine Doury.
Claro que sendo uma empreitada colaborativa, os nomes dos organizadores e participantes não poderiam ser melhores: Cia de Foto, Garapa, Olha vê, Images & Visions, Camera 16, Fotograficaminhamente, e o Estúdio Madalena.
Pelo conteúdo do blog e os nomes envolvidos, o Paraty em Foco 2009 traça o caminho certo para mais um sucesso!

Mais no site do Clicio.

Coisas da Fazenda Paraíso














































Logo de manhã, a luz do Sol de Amparo entra pela bandeira colorida da grande porta de entrada, que o pássaro, talvez se vendo retratado no vidro, vem bicar vigorosamente.

Pouco depois desse prosaico toque de despertar, a luminosidade se esparrama por debaixo da velha mesa de jantar, iluminando as pernas das cadeiras, talvez numa homenagem ao grande German Lorca.

No Paraíso, uma velha pedra, carente de vida e beleza, foi se envolvendo numa trama de folhas que, de vez em quando, quando menos se espera, se enfeitam de pequenas flores selvagens e amarelas.

Reflexão para quem mantém um blog...ou um diário.

"Manter um diário é um hábito de homem solitário, que trai os vícios da introspecção e do isolamento social, até uma forma de Narcisismo,... Há certos aspectos a recomendá-lo, ele mantém uma continuidade registrada entre seus modos passado e presente de ser, dá-lhe a reconfortante segurança de que choques, derrotas, desapontos são todos soterrados sob as páginas e páginas da nova experiência que ainda continua sendo disparada sobre ele enquanto prossegue no tempo, e promessas de que essa reconfortante nevasca de obliteração vai prosseguir enquanto ele mesmo continuar seguindo..."


Tennesse Williams (1911-1983), dramaturgo americano, autor de Um Bonde Chamado Desejo (1948), Gata em Teto de Zinco Quente (1955), O Zoológico de Vidro (1945, recentemente em cartaz no Brasil), A Noite do Iguana (1961) e The Rose Tatoo (1952).

Tradução livre da citação abaixo, encontrada em Margaret Bradham Thornton, Tennessee Williams Notebooks, Yale University Press, Copyright 2006 by the University of the South, pp. v, ix, 267, tal como trasncrita por Delanceyplace.com | daily@delanceyplace.com | Philadelphia | PA | 19102.

"Tennessee Williams: Keeping a journal is a lonely man's habit, it betrays the vices of introspection and social withdrawal, even a kind of Narcissism, ... It has certain things to recommend it, it keeps a recorded continuity between his past and present selves, it gives him the comforting reassurance that shocks, defeats, disappointments are all snowed under by the pages and pages of new experience that still keep flaking down over him as he continues through time, and promises that this comforting snowfall of obliteration will go right on as long as he himself keeps going. ..."

quinta-feira, 9 de julho de 2009

A poética política de Montoro, dia 16/07

A TV Cultura, a Superfilmes e a Editora Scortecci convidam para a exibição especial do documentário "A Poética Politica de Montoro", dirigido por Erika Bauer, e para o lançamento do livro "Passado a Limpo/Ode a Meu Pai", de Mônica Montoro, durante homenagem ao Governador Franco Montoro, falecido há 10 anos. Dia 16/07. Missa cantada às 19, filme às 20, livro e coquetel às 21 hs.
Local: Mosteiro de São Bento - Centro de São Paulo - manobristas no local.

Gay Talese em Paraty


Eduardo Muylaert flagrou o café da manhã do escritor Gay Talese, preparando sua entrevista na Flip, em Paraty. Sonia Racy publicou a foto no seu Direto da Fonte, no Estadão de domingo, 5/7/09. Segundo a coluna, o breakfast ocorria "em clima de filme de Visconti".

O desembarque na Normandia, por Capa


Depois de serem vistas em NY e Londres, as célebres fotos de guerra de Robert Capa agora estão no Museu Nacional d'Art de Catalunya. Capa fundou a MAGNUM em 1947 com Cartier Bresson, David Seymour e George Rodger. Morreu em 1954 na Indochina quando, fotografando para a revista LIFE, pisou numa mina. Ironia do destino: Capa sempre dizia que a foto não é boa se você não chega perto o suficiente: "If your pictures aren't good enough, you're not close enough".

Ser infeliz em Paris ?


Dinheiro não traz felicidade, repetia o velho Durval. Mas você sempre pode ir ser infeliz em Paris...

Caillebote por E.M., Museu d'Orsay, Paris. Ou, eles ralam, a gente ri.

QUEIMANDO O FILME

Uma obsessão nunca vem sozinha. Uma das coisas que me atraiu de cara em Sofia foi seu amor pela fotografia e pelas coisas do amor, que sempre andavam juntas. No começo, era um filme de 35 mm por mes, com suas 36 poses. Alguns meses eram a cores, outros em branco e preto, mas, em média, havia ao menos uma foto por dia e ainda, ao menos nos meses de 30 dias, 6 dias com dose dobrada e, nos de 31 dias, 5 dobradinhas. Festa, mesmo, era em fevereiro, pois, salvo nos anos bissextos, havia uma semana inteira de repetecos.O objeto fotografado variava sempre. Como acima discretamente enunciado, o ato fotográfico era sempre replicado, no quantitativo e no varietal, por um ato de amor. Ah, no início, eram incontáveis as variações e infinitas as satisfações. Ao fim dos primeiros seis meses, a velha Nikkormat foi trocada por uma Rolleiflex. de segunda mão, mas em bom estado. O espaço do negativo se alargou, mas a quantidade diminuiu. Agora, a cota mensal era de 12 negativos 6x6, com o que a diversão, em geral noturna, só ocorria a cada 3 dias, nos primeiros 18 dias do mes, e a cada 2 dias, nos 12 restantes. No segundo ano, a Rollei foi trocada por uma Fuji 6x9. Mais definição, mais espaço, menos fotos, agora eram 8 no mes, apenas 2 por semana.Por mais que Sofia apregoasse as virtudes do filme 120, meu corpo jamais se conformou com tal ritmo. Agora, Sofia achou num armário a velha Polaroid que foi de seu pai, e um único filme, bem envelhecido, com cerca de 6 poses, que deveria durar por todo um semestre. Comecei a procurar uma mulher que fotografe em digital e tenha um grande, um enorme, um generoso cartão de memória.(EM para Offdomina)

quarta-feira, 8 de julho de 2009

HUMUS

ERA UM DIA CHUVOSO, LACRIMOSO, ENTERNECIDO.
ASSSIM O MUNDO FOI CRIADO.

Bellatin usa uma Diana vermelha



Ainda na Mercearia São Pedro, Mario Bellatin contou que está encantado com sua nova Diana vermelha, com a qual tem fotografado. Bellatin teve seus textos editados pela Toluca Editions, que faz livros artesanais, com edições limitadas, custando vários mil dólares. As imagens desses livros são de artistas como Miguel Rio Branco, Araki, Graciela Iturbide, Thomas Ruff, Candida Hoffer, Daido Moriyama e Andres Serrano. É para quem pode.

http://tolucaeditions.com/

MARCELINO E BELLATIN COCHICHANDO



Os grandes escritores, ídolos dos modernos, o brasileiro Marcelino Freire e o mexicano Mario Bellatin, trocam confidências na Mercearia São Pedro.

Paraty se enfeitando


Paraty se despede da Flip e já se enfeita para o PARATY EM FOCO.

Casamento nada modesto



Cláudia e Modesto Carvalhosa consagraram muitos anos de felicidade com uma magnífica festa de casamento, cheia de amigos. Foto dos "noivos", Eduardo Muylaert.

Catherine Millet e Sophie Calle juntas na Flip



As duas escritoras-espetáculo, Sophie Calle e Catherine Millet, juntas na festa dos autores, no fim da Flip, em Paraty. Sophie Calle expõe seu corpo e sua vida amorosa. Catherine Millet, famosa crítica de arte, expõe sua sexualidade. Sinal dos tempos.
Foto Eduardo Muylaert.

BLOGOSFERA REUNIDA




Encontro histórico da blogosfera. Ao vivo, no Estúdio Madalena, Ciadefoto, Garapa e Olhavê inventando caminhos virtuais para o Paraty em Foco 2009.

Betina Samaia no Trio



A fotógrafa Betina Samaia expõe retratos com interferência de plástico bolha e série de nus no novo espaço do restaurante Trio, até 31 de julho de 2009. Na foto de Eduardo Muylaert, Betina e filha na abertura.